quarta-feira, 23 de setembro de 2015

O NOSSO OUTONO VESTE AS ALMAS PELAS RAÍZES


Imagem - Divergent


O NOSSO OUTONO VESTE AS ALMAS PELAS RAÍZES


O nosso outono despe os galhos às árvores;
Com o soprar do vento magnetiza olores
Frutados, que inebriam os corpos em elos de mãos cheias,
Quais passeiam pelas pedrinhas da calçada as ideias;
Roupagem natural de uma estação de mudança
Que fertiliza os laços de união em taças de paixão.

O nosso outono não tem uma idade para amar;
Com o soprar de anos a casta é mais nobre;
Os olhares mel, que inebriam os corpos em elos de peles,
Quais desenham pelos troncos jardins de nomes cobre,
À imagem da beleza de uma estação neles;
O memorando de sonhos em talha de renovação.

O nosso outono veste as almas pelas raízes;
Com o soprar criativo de uma folha somos felizes;
Lábios ao vento, inebriam os corpos em palavras de luz,
Quais escrevinham pelos corações vidas em poema;
O Multifacetado da estação traduz
O ar superlativo dos céus em noites de temperado clima.

® Maria Pessoa
(pseudónimo)